Ansiedade: o que é e como tratar


Saiba o que é Ansiedade: o que é e como tratá-la. 



Ansiedade deriva do latim anxiosus, e significa “inquieto”.

Nem toda ansiedade merece tratamento; muitas vezes ficamos ansiosos de maneira natural,com coisas que fogem um pouco do esperado. Isto é normal. É normal sentir um friozinho na barriga diante de uma apresentação,de um encontro, de uma prova,um exame,etc. A ansiedade é um conjunto de emoções primitivas que têm por finalidade garantir nossa existência.

Ansiedade como um estado normal

Portanto, ficar ansioso é ficar inquieto, colocar-se em expectativa, o que é uma condição bastante esperada. Isto ocorre para que o organismo possa se preparar adequadamente para vivenciar a situação.  Podemos usar algumas estratégias para reduzir a ansiedade, porém, anulá-la é quase impossível diante destes eventos, afinal, esta inquietude nos torna produtivos.

A Ansiedade generalizada.

A ansiedade torna-se inimiga dos indivíduos quando deixa de ser produtiva e torna-se desproporcional às ocorrências: quando não diminui facilmente, mesmo contra todas a vontade.

Neste caso, torna-se disfuncional, ou seja, acaba por atrapalhar, ao invés de ajudar.

Este estado caracteriza-se por pensamentos recorrentes de catástrofe, como se algo muito grave estivesse para acontecer, quando na verdade, o risco nem é tão grande, impedindo o indivíduo a ter uma visão realista da situação.

Ideação catastrófica como sintoma de ansiedade

Por exemplo: alguém ouviu falar que o país está em crise e começa a se preparar para vivenciar situações de miséria, deixando de gastar com coisas necessárias, abrindo mão de atividades prazerosas, por medo de ficar na miséria. Além disso, tende a procurar insistentemente formas de garantir sua sobrevivência, como se a catástrofe já estivesse ocorrendo.

Neste exemplo há uma antecipação imaginária da catástrofe. A estratégia compensatória neste caso, poderia ser um questionamento sobre o pensamento:



  1. de onde tirei esta ideia catastrófica?

  2. isto já aconteceu antes?

  3. se já aconteceu, como a situação foi resolvida?

  4. quais os riscos reais que esta situação ocorram?

  5. a antecipação vai ajudar-me a resolver esta situação? como?

  6. devo viver em função disto?

O mundo muda, as pessoas mudam, tudo muda. É natural que fiquemos ansiosos diante de tantas mudanças.

Em situações de Ansiedade, não é uma boa ideia afastar os pensamentos ansiosos, pura e simplesmente com “pensamentos positivos”, pois isto é como jogar “areia” sobre o problema. Ao contrário, devemos conversar com este estado de ansiedade até chegar no ponto de entender o que ela quer dizer. Diminua o ritmo, respire fundo, tente fazer uma coisa de cada vez, sempre conversando com a ansiedade, se apropriando dela, para melhor compreender seu funcionamento diante de situações novas, que surgem o tempo todo.

Leia também:

  1. 11 sinais de ansiedade;

  2. 5 pilares da Ansiedade

  3. Transtorno de Ansiedade Generalizada

  4. Ansiedade:O que é e como tratar.

Como Tratar Ansiedade

O Tratamento é feito com Psicoterapia e as vezes, dependendo do grau com alguma medicação.

Pode ser possível tratar sintomas de ansiedade através do método conhecido como Relaxamento responsivo.

A respiração diafragmática favorece o envio de oxigênio para o cérebro liberando endorfinas e ajudando a distribuição de serotonina.

A Terapia Cognitivo comportamental tem ajudado muitas pessoas a modificarem seus pensamentos, comportamentos e crenças.


Texto Redigido pela Psicóloga Maris V Botari. Quer copiar? Copie. Mas cite a fonte e coloque um link apontado para o texto original. Lembre-se que Plágio é crime previsto na lei 9610/98

Não faça plágio. você poderá ser denunciado

#Terapia

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

♕ Sintomas que indicam Crise de Ansiedade Generalizada

Ansiedade é uma condição natural do ser humano, porém em alguns momentos, ela passa dos limites. Existem aproximadamente  12 sinais que indicam que a pessoa sofre de ansiedade patológica são: Sinais p

✦Transtorno de Ansiedade Generalizada

. 2014, vol.16, n.1 [citado 2019-08-06], pp. 67-82 . Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-55452014000100007&lng=pt&nrm=iso>. ISSN 1517-5545. Home | APA DSM