❖ O que é a dificuldade de relacionamento? ❖Psicologa SP


O que é a dificuldade de relacionamento? 


Por que algumas pessoas apresentam mais dificuldade em se relacionar que as outras? 

Aquilo que para alguns é tão natural, para outras é um pesadelo.



O tema não é fácil e abre diversas possibilidades de entendimento. A proposta aqui não é esgotar o assunto, mas ao contrário, buscar novas formas de entendimento.


Alguns indivíduos preferem abster-se do convívio social, isolando-se ou buscando apenas relacionamento na internet, onde não precisam se expor com totalidade, podendo \”deletar os indesejáveis\” quando bem entender.


A dificuldade de relacionamento pode ser entendida de várias formas:

Dificuldades específicas:

  1. Contextuais => na hora de namorar, paquerar, falar em público;

  2. Operacionais => dificuldades em se relacionar somente no ambiente de trabalho, escolar ou religioso;

  3. Familiares => dificuldades em manter relações de qualidade somente no âmbito familiar 

  4. Gerais => surgem em vários contextos ao mesmo tempo.

  5. Aspectos sócio-históricos => variáveis sócio-históricas-culturais que influenciam as negativamente as relações.

  6. Dentre outras …


Não vamos considerar como dificuldade o simples fato de um indivíduo se desentender somente com uma ou duas pessoas.

 Isto pode ser uma questão de ajuste na relação e é assunto pra outro tópico. Nosso foco aqui são as dificuldades que trazem limitações e prejuízos sociais, afetivos e financeiros.



1.Dificuldades contextuais

Se um indivíduo apresenta dificuldades no momento de estabelecer contato ou aproximações, mas não em outros contextos, pode significar apenas uma forma leve de timidez se não houver prejuízos.  Entretanto, se esta limitação impossibilita vivenciar situações gratificantes, é importante verificar quais são os aspectos da história do indivíduo que determinaram este comportamento de esquiva. O conceito que o tímido faz em relação a si mesmo geralmente é negativo-catastrófico, o que gera sentimento de rejeição e baixa autoestima. É comum ouvi-lo dizer: “Não tenho assunto”;“Sou feio(a)”;“Não sou inteligente”;“Sou rejeitado”; Sua visão de mundo é catastrófica: acredita que as coisas boas só acontecem aos outros, menos com ele. Não funciona muito exigir que se “solte mais”. Ele sabe disso melhor que qualquer um. Apenas não sabe exatamente como fazer isso.


Dificuldade nos relacionamentos afetivos:

Alguns indivíduos se queixam da dificuldade em encontrar o “par perfeito”, a “alma gêmea”, etc, e nesta busca enveredam por mil caminhos diferentes, percorrendo caminhos tortuosos. Não é uma busca fácil, porque a dificuldade não reside na busca especificamente, mas no ajustar-se ao outro. Algumas pessoas querem um parceiro prontinho, perfeitinho e de preferência embalado para presente. Considerando que as relações se estabelecem em função das gratificações que proporcionam, é natural que os indivíduos busquem se relacionar com pessoas que possam “preencher” suas necessidades mais elementares de afeto. Abreu (2005) informa que a vinculação entre casais apresenta semelhanças com a vinculação infantil, salientando que:



a) da mesma forma que a criança, o adulto tende procurar seu parceiro nos momentos de grande ansiedade;


b) a imagem de seu cônjuge é associada à conforto e segurança (base segura);


c) a separação gera ansiedade, tanto na criança que se separa dos cuidadores, quanto no adulto que se separa do seu par. (p.149)


Naturalmente esta categorização é aproximada, pois é comum observar algumas crianças que tiveram uma infância dramática tornarem-se adultos confiantes e vice-versa.

Levine e Heller (2013) apontam que existem 

dois tipos de apego, os ansiosos e evitativos:


Os tipos ansiosos geralmente exigem atenção e demonstração de afeto, a fim de que conseguirem a confirmação que são realmente amados. 

Entendem que uma relação seja como uma fogueira que deve ser cuidada para que não se extinga.

Para quem se relaciona com indivíduos que se aproximam deste padrão de apego, os autores (op. cit.) sugerem que ofereçam a eles a base segura que lhes falta.


Porém isto nem sempre é fácil. Oferecer segurança a quem não adquiriu ao longo do desenvolvimento pode ser uma tarefa dolorosa, pois requer muita sabedoria. É necessário que haja um diálogo claro, onde as pessoas busquem conhecer suas necessidades afetivas e consigam equilibrar os ganhos e as perdas, evitando invasão. 

Nestes casos é fundamental que haja uma real compreensão dos motivos que levam um indivíduo a demonstrar ansiedade diante de eventos corriqueiros.


Os evitativos são o extremo oposto: querem garantir sua independência a qualquer custo. 

Segundo Levine e Heller (2013) isto não significa que eles não amem seu parceiro, apenas que precisam manter seu espaço preservado. 

Tais indivíduos geralmente não costumam partilhar seu afeto além daquilo que julgam adequando, pois temem que serão invadidos e terão sua individualidade comprometida. 

A melhor forma de se relacionar com estes indivíduos é oferecendo a eles o espaço necessário para viverem de forma autêntica.


Mas isto também não é fácil! Afinal que se relaciona geralmente deseja compartilhar vivências e afetos. 


É importante que haja paciência e compreensão, para negociar com o parceiro evitante o espaço necessário para o relacionamento. 


Convém não forçá-lo a estabelecer relações mais íntimas do que podem oferecer, uma vez que esta atitude evitativa possivelmente foi adquirida ao longo do desenvolvimento.

Por isso “forçar a barra” só vai fazer com que ele se afaste ainda mais.


No entanto, a sugestão que se faz para quem está com dificuldades de se relacionar com o ansioso ou com o evitante é que verifique prioritariamente as próprias necessidades afetivas e a disposição em negociar com pessoas diferentes e pouco dispostas a mudar. 


Se o relacionamento for gratificante, convém buscar apoio terapêutico para mediar os conflitos e ajustar as necessidades.


Apesar das diferenças pessoais, um relacionamento afetivo dar certo, mas é necessário que os pares se apropriem das suas diferenças, sem negá-las, assumindo defeitos e qualidades e mantendo sempre um diálogo aberto.


2. Dificuldades operacionais

São aquelas dificuldades que surgem quando o indivíduo não consegue, por exemplo, trabalhar em grupo, mas consegue se reunir com o mesmo grupo para uma comemoração. Isto pode estar relacionado ao perfeccionismo, ou falta de confiança básica no outro.


3. Dificuldades familiares

Alguns indivíduos se relacionam muito bem com os amigos, vizinhos, até mesmo com os estranhos, mas por algum motivo apresentam dificuldades de se relacionar com os familiares.  Este tipo de dificuldade é muito comum.


Isto pode ocorrer em função dos diferentes interesses dos familiares e das diferentes limitações que o contexto familiar impõe, em função dos hábitos adquiridos ao longo do tempo.


Aqui não há alternativa: todos devem se ajustar às diferentes demandas, respeitando os limites do outro. É fundamental que a comunicação seja clara.


4. Dificuldades gerais

Em alguns casos, a história de vida de alguns indivíduos aponta para ocorrências limitadoras durante a infância ou adolescência, levando-os a se sentirem \”inferiores\”, ou \”superiores\” aos demais.  Isto pode colaborar para que alguns indivíduos acumulem pequenas dificuldades para se relacionar e num dado momento percebem que não conseguem mais se relacionar de forma saudável em nenhum contexto.

Para modificar este quadro, é importante ressignificar a auto imagem, quebrar conceitos e preconceitos, desfazer ideias cristalizadas a respeito de si mesmo e do mundo, abrir-se ao outro, deixar de lado (na medida do possível) o medo da rejeição e o sentimento de superioridade, pois são barreiras que contribuem para o isolamento social, trazendo prejuízos em todas os contextos.


5. Variáveis sócio-históricas

Outro ponto importante a considerar é o momento histórico que atravessamos: somos ensinados (através da mídia, principalmente) a temer e desconfiar de todos.Ensinaram-nos que:
  1. O outro é um concorrente, não um semelhante; 

  2. o outro é uma ameaça, não uma fonte de apoio;

  3. o outro é diferente;

  4. o outro é pior;

  5. o outro é melhor;

  6. o outro tem mais;

  7. o outro tem menos;

  8. etc.



Desta forma, vamos formando \”classes\” de pessoas com interesses parecidos.

Ok. Até aqui, nada demais.

É tendência do ser humano se relacionar com seus pares, ou seja, aqueles que têm interesses em comum. 


A dificuldade surge justamente quando precisamos nos relacionar com o diferente. 


Como deixar de lado as diferenças e estabelecer relações saudáveis, se não formos ensinados? Como deixar de temer o diferente? Como confiar no outro? Bem, são questões difíceis e exigem muita reflexão. 


No entanto, alguns pontos devem ser observados:

Compreender o que é um relacionamento – Relacionamentos são vias de mão dupla. É preciso disposição para compreender e se adaptar ao outro.
Romper as barreiras – Passar em revista seus valores e verifique se não é você que está rejeitando o mundo a sua volta. 


Algumas pessoas tendem a eliminar certos relacionamentos por medo de ser \”contaminados\” pelas ideias alheia e desta forma, perdem a chance de conhecer pessoas maravilhosas e viverem bons momentos. 


Se este não é seu caso, ótimo. 

Se for, verifique o que é melhor: conviver com suas ideias cristalizadas e na solidão ou abrir mão delas e estabelecer relacionamentos saudáveis? Estar disponível: Bons amigos ou parceiros afetivos não caem do céu. Estas relações precisam ser cultivadas. Por isso é importante sair do ostracismo e demonstrar desejo de proximidade por meio de atitudes simples. 

Se você convive com pessoas que têm dificuldade de relacionamento, saiba que a solução não é forçar o indivíduo a se relacionar, ao contrário, devem-se buscar os reais motivos que conduziram este indivíduo a esta situação de isolamento, portanto cuidado para não invadir o espaço da pessoa ao tentar ajudar. 


Pode ser que ela não queira a sua ajuda. Se precisar, com certeza pedirá.


Seja lá qual for o motivo que leva o indivíduo a não se expor, só podemos considerar como problemático o comportamento de esquiva que tiver trazendo sofrimento para o indivíduo. Nestes casos, sugiro que busque por apoio terapêutico.



Referências

ABREU, C. N. de. Tipos de apego: Fundamentos, Pesquisa e Implicações Clínicas. São Paulo. Casa do Psicólogo, 2005.

LEVINE, A; HELLER, R.S.F. Apegados: um guia prático para estabelecer relacionamentos românticos e duradouros. Ribeirão preto. Ed. Novo Conceito: 2013.




Texto escrito por 

Maristela Vallim Botari 


Psicóloga – CRP-SP 06/121677

___________________________________________________

Com a Terapia Online, não existe mais distância entre você e o Psicólogo



Existem fases da vida que realmente é muito difícil atravessar sozinho (a).

E nestas fases, parece que os amigos somem, o trabalho fica mais difícil e a solidão bate forte.  Além disso, nossas forças físicas parecem diminuir, o pensamento fica disfuncional e os sentimentos tendem a ficar cada vez mais confusos. 



❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖❖

Psicóloga Presencial e Online em São Paulo


◈Convênio Psicóloga Para quem busca Psicólogo ou Psicóloga que atende Saúde Bradesco, Psicólogo que atende convênio Amil, Psicólogo que atende convênio Sulamérica,etc.

Formação e história de vida. 

◈Saiba o que esperar de uma psicóloga

Canal de Youtube

Facebook


Conheça meu trabalho




◈ Se chegou aqui, certamente busca uma  PSICOLOGA, PSICOLOGO, psicoterapia, terapia online ou presencial ou tratamento para sua ansiedade, depressão, estresse ou dificuldade de relacionamento, terapia de casal, terapia infantil


Se esta é sua primeira vez, seja bem vindo (a)




Se você ou alguém que você conhece está passando por um problema psicológico, saiba que a Psicoterapia  (realizada por psicólogos credenciados) pode ajudar a compreender e superar estas fases.

Psicoterapia é para pessoas que como você, buscam uma *reforma interior*

◈ Estou a disposição para atender sua queixa e acolher suas demandas A Terapia serve para que as pessoas tenham ajuda emocional, apoio psicológico para lidar com problemas da vida em geral, como DepressãoAnsiedade (TAG),  estress, Transtorno do Estresse pós traumático (TEPT), Dificuldade de relacionamento, fobia social, dificuldade em demonstrar sentimentosluto, ciúme patológico, dificuldade de vinculação, sentimento de solidão excessiva,  dificuldades escolares, de contração, de prestar atenção, de memorizar; Apoio emocional e psicológico para superação Término de relacionamento  e traumas de infância, carência afetiva crônica.necessidade de aceitação, superação de episódios de traiçãoTDAH, Terapia Cognitivo ComportamentalTerapia de Casal:Terapia IndividualTerapia InfantilDificuldade de relacionamentos, de comunicação,   de expressar sentimentos,  de manter relacionamentos afetivos, de comunicação,   de tomar decisões, etctranstorno de personalidade: Bipolar, Borderline, Esquiva, Paranóide, pensamentos obsessivos, distorcidos intrusivos ou recorrentes;


◈ 

∭ 




Psicóloga São Paulo SP. 

AGENDE AQUI SUA SESSÃO DE TERAPIA ONLINE OU PRESENCIAL 

Terapia Infantil | Terapia de Casal | Terapia Individual

Acolhimento humanizado Psicoterapia Acessível

Terapia Online Por Whatsapp Ou Presencial


Entenda como funciona uma sessão de terapia.





Consultório Psicologia clínica Vila Mariana: endereço


região da  Chácara Klabin,  Paraíso, Vergueiro e da Paulista.


Psicóloga Bradesco Amil Sulamérica por  Reembolso.


Quanto custa uma sessão de terapia em São Paulo?

Clique aqui e saiba o preço da sessão de terapia


Buscando psicólogos Gratuitos?

Clique aqui e saiba onde encontrar Psicólogos Gratuitos.

Quer agendar uma sessão de terapia?

Plano de saúde cobre psicologa

Informações sobre atendimento Psicológico por meio de Plano de Saúde

(Psicologa Bradesco Saúde, Amil, Sulamérica, Intermédica Notredame POR REEMBOLSO)

O que esperar de uma Psicologa

Para você quer faz Psicoterapia, ou ainda não começou e não sabe exatamente o que esperar do psicólogo, aqui vão algumas dicas. O Psicólogo é um profissional que vai te acolher com brandura, sem julgamento.

Atendimento Psicológico Humanizado

O que é um atendimento psicológico? Quais os tipos de atendimentos psicológicos que existem? Saiba mais

Como a Psicoterapia pode ajudar

Saiba de que forma a psicoterapia pode te ajudar: Favorecendo o autoconhecimento; diminuindo a ansiedade, controlando e tratando os sintomas da depressão

Quanto custa consulta Psicológica?

O valor cobrado por uma sessão de Psicoterapia em São Paulo, é uma média do preço praticado na cidade de São Paulo, mais precisamente, na zona sul de sp.

Os preços são fracionados de acordo com a duração de cada sessão, para que todos as pessoas tenham acesso aos atendimentos

Psicologa para amor patológico

Pessoas que amam demais precisam fazer terapia para que aprendam a amar de maneira menos dolorosa e mais feliz; a Psicoterapia pode ajudar pessoas com quadro de dependência afetiva a se amarem mais e em primeiro lugar.

❖ Psicóloga Terapia cognitivo comportamental

A Terapia Cognitivo Comportamental é um modelo de tratamento psicológico de curta duração e efeitos mais rápidos, pois busca tratar um problema de cada vez. Indicada para casos de depressão, ansiedade, dificuldade de relacionamento, estresse e para quem quer perder peso.

❖ Psicologa Terapia de casal

Terapia para que os casais possam compreender melhor a si mesmos, buscando a compreensão do relacionamento e resgatando os motivos que os uniram.

❖ Psicóloga Online

Psicologa Online: faça terapia pela internet a qualquer hora, em qualquer lugar. 

Fazer terapia é sempre muito bom.

Resgata o bem estar, promove a paz interior e ajuda a deixar a vida mais leve.

❖Tratamento psicológicos

Transtorno de Humor


Depressão leve moderada ou grave

Ansiedade


Ansiedade crônica, Ansiedade generalizada, transtorno do estresse, estresse pós-traumático transtorno obsessivo compulsivo (TOC).


Fobias

Fobias em geral, síndrome do pânico.

Relacionamentos

dificuldade de relacionamento, Superação de término de relacionamento, ciúme patológico, amor patológico,  Dificuldade de comunicaçãoIdentificar relacionamentos abusivos

Vícios

Compulsões por comida, trabalho, compras e outras. Vício em celular, FOMO e dependência química.

Problemas de Sono

Insônia e Hipersonia não-orgânica.

Personalidade

Transtorno de personalidade: Bipolar, Borderline, Esquiva, Paranóide.

Desenvolvimento pessoal


Necessidade de aceitação, Baixa autoestima, desmotivação, estresse, dificuldade em tomar decisões, sentimento crônico de vazio, pensamentos obsessivos, ideação suicida, comportamento de automutilação, dificuldade de se expressar, insegurança, indecisão, auto cobrança excessiva e instabilidade emocional.


Sentimentos

Lidar com sentimento de culpaSentimentos reprimidos, Dificuldade de demonstrar afeto, Carência afetiva, Dependência emocional e afetiva,

Trabalho e Carreira

Estresse   Dificuldades de relacionamento no trabalho, desenvolvimento e/ou escolha da carreira, problemas no trabalho, 

Estudos

Dificuldade de aprendizagem, TDAH







✦Para quem busca: por *psicólogos gratuitos*, *terapia gratuita*, *psicólogos gratuitos em São Paulo *Atendimento psicológico gratuito*, etc. 

Deixo aqui um link com muitos lugares que oferecem *Psicólogos Gratuitos*

✦Se você busca *Psicólogos de preço acessível* *terapia acessível* saiba que eu disponibilizo Atendimento Social

✦Para saber o *preço da consulta psicológica*, clique aqui







Geralmente as pessoas procuram terapia quando:

Apresentam problemas de relacionamento

  1. Crenças de desamparo ou  desamor;

  2. Dificuldade em superar um término de relacionamento;

  3. Dificuldade em aceitar uma traição;

  4. Querem manter um relacionamento feliz;

  5. Precisam se livrar de um amor doentio;

  6. Gostariam de aprender a amar;

  7. Querem identificar e se libertar de relacionamentos abusivos, abuso moral ou psicológico; 

  8. Não querem mais aceitar joguinhos amorosos, nem  Relacionamentos orbitais;

  9. Identificar Mecanismos de defesa nas relações afetivas;

  10. Lidar com perdas, abandonos e solidão.

Apresentam problemas de autoestima, autoimagem ou autoaceitação





  1. Estão em busca de autoconhecimento; autoaceitação;

  2. Buscam formas de resgatar sua autoestima;

  3. Querem viver sem a necessidade de máscaras;

  4. Querem evitar comparações;

  5. Não se consideram suficientemente inteligentes.

  6. Querem aprender a viver com mais autenticidade.

Apresentam sinais e sintomas de transtornos mentais





  1. Ansiedade crônica;

  2. Depressão leve moderada ou grave;

  3. Transtorno de personalidade: Bipolar, Borderline, Esquiva, Paranóide.

Apresentam formas disfuncionais de pensar e agir





  1. pensamentos obsessivos, distorcidos intrusivos ou recorrentes;

  2. ideação suicida,  automutilação, agressividade exagerada.

  3. Insônia;

  4. oscilação de humor;

  5. Compulsão alimentar;

  6. Uso abusivo de álcool e/ou entorpecentes.

Buscam uma reforma íntima:





  1. Querem se livrar de alguns sentimentos ruins como a  inveja, a culpa, a raiva, o ciúme;

  2. Entenderam que é hora de superar a carência afetiva,  e a dependência emocional

  3. Precisam perdoar, superar e esquecer eventos traumatizantes;

  4. Querem aprender a se importar menos com o que os outros pensam  a seu respeito; 

  5. Querem compreender a diferença entre expectativas e ilusões.

Apresentam problemas de estresse no trabalho





  1. Precisam aprender a não romantizar trabalho.

Precisam aprender novas habilidades sociais






  1. Aprender a dizer não

  2. Superar a Dificuldade de relacionamentos e de comunicação;

  3. Superar a dificuldade demonstrar sentimentos

  4. Identificar e lidar com chantagem emocional;

  5. Identificar e demonstrar Sentimentos reprimidos.

Se você ou alguém que você conhece está passando por um problema psicológico, convido a vir conhecer meu trabalho, ou indicar a quem precisa.

A Terapia serve para que as pessoas tenham ajuda emocional, apoio psicológico para lidar com problemas da vida em geral, como ansiedade, depressão, fim de relacionamento, luto, amor patológico, etc. 

Quem pode se beneficiar da Psicoterapia: pessoas em geral, não necessariamente pessoas com transtornos mentais.




Psicóloga em SP que atende como psicóloga Bradesco, psicóloga Amil, psicóloga Sulamérica, por reembolso. Tratamento depressão e Ansiedade. Faça Terapia infantil, Casal, Individual,

Como funciona a terapia com psicólogos


  1. ⭐⭐⭐⭐⭐ Blog da Psicóloga SP

  2. 10 motivos para fazer terapia

  3. Ajuda Emocional

  4. Como encontrar o psicólogo certo

  5. Como saber se você precisa de terapia?

  6. Endereço do Consultório de Psicologia

  7. Há sempre algo que um psicólogo pode fazer

  8. Informações sobre Psicoterapia

  9. Onde tem atendimentos com Psicólogos Gratuitos?

  10. Para quem nunca fez psicoterapia

  11. Psicóloga em São Paulo, sp

  12. Psicóloga por Whatsapp: sempre com você

  13. Psicologa Vila Mariana em SP

  14. Psicólogos para problema de relacionamento

  15. Psicoterapia como funciona a 1a. sessão

  16. Psicoterapia é evolução, não é castigo nem punição

  17. Quando a terapia funciona

  18. Quando procurar terapia online

  19. Quando procurar terapia?

  20. Quanto custa uma consulta com Psicólogos em SP em 2020

  21. Terapia Cognitivo Comportamental

  22. Terapia de Casal

  23. Terapia Online: Uma alternativa excelente

  24. Terapia para compulsão alimentar

  25. Terapia para Modificação do comportamento

  26. Tratamento para dificuldade de relacionamento

  27. Tratamentos Psicológicos


quanto custa uma consulta com psicólogo 2021

quanto custa uma sessão de psicanálise

valor consulta psicológica particular

quanto custa um psicólogo? yahoo

quanto custa uma sessão de terapia

consulta com psicólogo gratuito

preço psicólogo dr consulta

psicólogo preço popular sp

Valores para consultas com psicologos.

✦terapia cognitiva comportamental zona sul,

✦consulta com bons psicólogos em SP,

✦psicólogos da zona sul de sp,

✦psicólogos Amil,

✦psicólogos Bradesco sp,

✦Psicologa Clínica em São Paulo SP,

✦psicólogos Sulamérica,

✦Psicóloga Online,

✦Psicóloga e terapia infantil,

✦Psicóloga sp,

✦Psicóloga vila mariana,

✦Psicólogo sp,

✦Psicóloga paraiso,

✦Terapia de casal,

Atendimento Via WhatsApp,

✦Atendimento social em psicologia

✦terapia cognitiva comportamental zona sul,

✦psicólogos Amil,

✦psicólogos Bradesco sp,

✦Psicologa Clínica em São Paulo SP,

✦psicólogos Sulamérica,

✦Psicóloga Online,

✦Psicóloga e terapia infantil,

✦Psicóloga sp,

✦Psicóloga vila mariana,

✦Psicólogo sp,

✦Psicóloga paraiso,

✦Terapia de casal,

✦Atendimento Via WhatsApp,

✦Atendimento social em psicologia

✦terapia cognitiva comportamental zona sul,

Psicologa em SP. Terapia Adultos e Crianças. Terapia Casal, Psicologa  Zona Sul de SP. Agende uma consulta de terapia com psicólogo. Terapia online ou presencial. Terapia Cognitivo Comportamental. Psicóloga vila mariana na Zona Sul. Psicologa bradesco, psicologa amil, psicologa sulamerica. Psicólogos sp. Terapia sp. Terapia bradesco, teleatendimento. Terapia acessível,  onde encontrar atendimento psicológico gratuito online,




✦terapia cognitiva comportamental zona sul,


✦consulta com bons psicólogos em SP,


✦psicólogos da zona sul de sp,


✦psicólogos Amil,


✦psicólogos Bradesco sp,


✦Psicologa Clínica em São Paulo SP,


✦psicólogos Sulamérica,


✦Psicóloga Online,


✦Psicóloga e terapia infantil,


✦Psicóloga sp,


✦Psicóloga vila mariana,


✦Psicólogo sp,


✦Psicóloga paraiso,


✦Terapia de casal,


Atendimento Via WhatsApp,


✦Atendimento social em psicologia


✦terapia cognitiva comportamental zona sul,


✦psicólogos Amil,


✦psicólogos Bradesco sp,