top of page
Buscar

Aprendendo a Amar

Atualizado: 18 de set. de 2023

Aprendendo a Amar



casal que ja aprendeu a amar
casal feliz


Neste tópico, vamos discorrer sobre o amor passional, e não outros.


O amor é um sentimento sublime, que nos eleva a um sentimento de alegria plena, fazendo-nos sentir emoções raras, de extremo prazer e bem-estar sem igual.


Se você ama alguém, parabéns! Porém…


Para amar não basta sentir. É preciso saber como colocar em prática, afinal, amor sem a prática é como uma semente que não germinou.


Amar não implica em amarrar o outro ao nosso lado, mas sim, respeitar seu livre arbítrio para decidir se quer ou não nossa companhia.


Amor é um sentimento incompatível com sentimentos ruins, como inveja, ciúme, desejos de vinganças, ódios, culpas, remorsos, etc. Quem ama verdadeiramente evitar situações em que estes sentimentos possam emergir, para não macular o sentimento maior, o AMOR.


Amor é um sentimento muito nobre que exige desapego. Quem ama verdadeiramente não se apega mas cria condições para que o outro te ame. Por isso é inútil cobrar amor. Quem não te ama, não te amará mais se você impuser isto como condição.


Os que não conseguem atingir o êxtase do amor não conhecem o que é esta maravilhosa sensação de bem estar. são pessoas fechadas em seus mundinhos cinzas, cheios de amargura, dor, sofrimento, desilusão e solidão.


Quem ama verdadeiramente assume compromisso consigo mesmo e com seus sentimentos, portanto fará algum esforço para ficar sempre por perto da pessoa amada, mesmo que saiba que não é correspondido.



Quem ama não procura defeitos. 

Se os vê no outro, aceita-os como inerentes à pessoa amada. Ajuda a mudar apenas aqueles que prejudicam o outro ou a relação, apenas isto, e nada mais. Não tenta mudar o outro para o seu prazer.


Amor NÃO impõe condições nem regras abusivas.

Quem sabe amar não faz exigências desumanas, nem escraviza o outro, mas permite-lhe ser quem ele (ela) é, preservando sua individualidade.

Quem ama perdoa. Não faz uso daquele perdão vazio e  sem crítica, mas sim, o perdão que liberta, o perdão que ressignifica as ocorrências, dando-lhes a devida proporção.



Amor é livre.

Não impõe.

Não exige

Não tenta mudar o outro.