top of page
Buscar

Vacina contra o COVID-19: onde tomar a Bivalente em SP

Em São Paulo, a vacinação é coordenada pela Secretaria Municipal de Saúde e pela Secretaria Estadual de Saúde. A vacina bivalente é usada para prevenir a febre amarela e a hepatite B. Para receber a vacina, você pode procurar os seguintes locais:

  1. Unidades Básicas de Saúde (UBS): As UBS são as unidades de saúde primárias que oferecem serviços básicos de saúde à população. Elas costumam disponibilizar vacinas gratuitas, incluindo a bivalente. Verifique a UBS mais próxima de sua residência e entre em contato para confirmar a disponibilidade da vacina.

  2. Centros de Saúde: Os centros de saúde também são unidades de saúde que oferecem serviços mais abrangentes. Alguns centros de saúde têm postos de vacinação, onde você pode receber a vacina bivalente. Recomenda-se entrar em contato com o centro de saúde antes de visitá-lo para verificar a disponibilidade.

  3. Hospitais: Alguns hospitais também oferecem serviços de vacinação. Verifique se os hospitais próximos a você fornecem a vacina bivalente e se eles exigem agendamento prévio ou se oferecem atendimento por ordem de chegada.

  4. Campanhas de vacinação: A Secretaria Municipal de Saúde e a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo periodicamente organizam campanhas de vacinação em diferentes regiões da cidade. Fique atento aos comunicados e às informações divulgadas por essas entidades para saber sobre a realização de campanhas específicas que ofereçam a vacina bivalente.

Recomenda-se que você entre em contato com a unidade de saúde escolhida previamente para confirmar a disponibilidade da vacina, bem como os horários de funcionamento e quaisquer requisitos adicionais, como documentos necessários. Lembrando que a vacinação pode ser atualizada ou sofrer alterações, por isso é importante verificar as informações mais recentes junto aos órgãos de saúde competentes.


PSICOLOGA SP, COVID 19


A pandemia da COVID-19 trouxe uma série de mudanças e desafios significativos para a vida das pessoas em todo o mundo. Essas mudanças repentinas e a incerteza associada à pandemia podem levar ao aumento da ansiedade em muitos indivíduos. Aqui estão alguns aspectos importantes sobre a relação entre a COVID-19 e a ansiedade:

  1. Medo da doença: A COVID-19 é uma doença potencialmente grave, e o medo de contrair o vírus ou de infectar pessoas queridas pode ser um gatilho significativo para a ansiedade. Preocupações com a saúde pessoal e a saúde de entes queridos podem levar a sintomas de ansiedade, como preocupação excessiva, medo constante e hipocondria.

  2. Incerteza e mudanças na vida cotidiana: A pandemia trouxe uma série de mudanças significativas em nossa vida cotidiana, incluindo restrições de movimento, isolamento social, mudanças no trabalho e nas rotinas diárias. Essas mudanças repentinas e a incerteza sobre o futuro podem levar à ansiedade, pois as pessoas se sentem desorientadas e fora de controle.

  3. Preocupações financeiras: A crise econômica associada à pandemia também pode causar ansiedade em muitas pessoas. A perda de empregos, a instabilidade financeira e a incerteza sobre o sustento podem levar a preocupações persistentes e acentuadas sobre o futuro financeiro, resultando em ansiedade generalizada.

  4. Isolamento social e solidão: As medidas de distanciamento social e o isolamento podem levar à solidão e ao sentimento de desconexão. A falta de interações sociais regulares, apoio emocional e conexões pessoais pode contribuir para sentimentos de ansiedade e depressão.

  5. Sobrecarga de informações: A constante exposição a informações sobre a pandemia, através das mídias sociais, notícias e discussões, pode ser avassaladora e levar a um aumento da ansiedade. É importante equilibrar o consumo de informações, buscando fontes confiáveis e limitando o tempo dedicado à leitura de notícias relacionadas à COVID-19.

  6. Mudanças nos planos e metas: Muitas pessoas tiveram que adiar ou cancelar planos, metas pessoais e eventos importantes devido à pandemia. Essas mudanças inesperadas podem gerar sentimentos de frustração, tristeza e ansiedade, uma vez que as expectativas foram alteradas.

É importante destacar que cada pessoa pode ter experiências e reações diferentes diante da COVID-19 e da ansiedade associada a ela. Algumas estratégias que podem ajudar a lidar com a ansiedade durante a pandemia incluem: buscar informações de fontes confiáveis, manter rotinas diárias saudáveis, praticar técnicas de relaxamento, exercício físico regular, manter contato social mesmo que virtualmente, limitar a exposição às notícias e considerar o apoio de um profissional de saúde mental, como um psicólogo, para obter suporte emocional e desenvolver estratégias específicas para lidar com a ansiedade.